segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Manual de sobre vivência

Calado, sentido.
1 - Não sinta, não chore, não ame. Isso não é um hospício, isso é a vida.
2 - Você não tem o direito de guardar recordações, principalmente as ruins.
3 - Você não tem motivos para chorar, sua vida está divinamente em ordem, não vê?
4 - Se estiver custando a acreditar que pessoas vão embora e se perdem na neblina da eternidade, saia daqui. Você não é bem vindo.
5 - Não viva, sorria. Ah, sorria para esconder sua face fétida, sua alma podre, seu coração sujo.
6 - Lembre que problemas não são nada perto da felicidade que a vida nos proporciona. Tudo bem que você seja feliz à custa dos outros. Se hoje ele é seu amigo, amanhã ele não será. E de melhores amigos, o mundo está cheio. A vida é sua e você está sozinho nisso tudo, não aprofunde suas relações – é o pior de todos os crimes.
Mas eu nunca fui de seguir regras, nem leio manuais.
Eu amo almas porque amo, não porque quero ninar meu ego.
Se esse é o sentido da palavra amizade, eu aprendi errado.
E você?
Eu acredito em palavras e fonemas, e guardo comigo todos os sorrisos sinceros.
Perdão se me enganei. Eu não quero me satisfazer.
Tudo que peço é que não me ensine a sobreviver, ensine-me a morrer a cada dia.

3 comentários:

  1. Morrer a cada dia... e a cada dia mais...

    ResponderExcluir
  2. A cada post me apaixono mais. Perfeição em cada verso. Parabéns MESMO.

    ResponderExcluir
  3. Garoto, este foi um dos seus melhores! Que ótimo que está sempre se aprimorando.
    Aonde quer que você vá ou aonde a vida te leve, nunca deixe de escrever.

    ResponderExcluir