segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Acima do meu amor

Tu amas, única e solenemente
A imagem que encontras no espelho
A imagem denegrida do aborto
Daquilo que tu defendes como certo.

É o receio de não quebrar o seu colar
Que tanto brilha os diamantes
Mas por dentro é universo podre, parasitário!

Esquece-te de mim enquanto houver cólera
Pois na ausência, apenas restará a arma
A faca com a qual te matarei, ingrato!

Qual?! Amor? Passas longe de usar tamanha ternura diante de outro ser que não seja teu próprio reflexo.

2 comentários:

  1. fiz pra você*

    quero subir numa torre bem alta
    para gritar que estou com fome de amar!
    se encontrares um coração sujo de areia
    rolando no chão,
    apanhe-o e limpe,
    e não ponha num museu
    venha deixar me
    que ele é meu ...!

    ResponderExcluir
  2. ames a ti, como queira amar o próximo
    amo-te, mas nao queira me amar

    bleah, tentei fazer qualquer coisa bonita agora, mas ficou mela cueca :P vou admirar seu talento!

    ResponderExcluir